Review: Godzilla (2014).

Godzilla-2014-Movie-Desktop-Background

Godzilla 2014:

De Gareth Edward.

Com: Aaron Taylor-Johnson, Elizabeth Olsen, Ken Watanabe, Bryan Cranston, Sally Hawkins, David Strathairn, Juliette Binoche.

Um dos maiores problemas do cinema hollywoodiano atual é o terrível medo de arriscar. Ou seja, a maioria das produções recorre a algo que, teoricamente, tenha maior chance de dar certo, tenha maior aceitação do público, algo já conhecido. Duvida? Basta olhar os filmes em cartaz hoje, ou dos últimos anos. É difícil encontrar algo original, que não seja baseado em alguma coisa, seja quadrinho, livro e etc. É a era dos remakes, Diferente dos anos 80 e 90 onde o cinema ainda era um terreno fértil para inovação, de correr riscos.

Eis aqui mais um fruto da precaução empresarial dos estúdios. Godzilla, que deu suas primeiras pisadas no filme de 1954, quando o Japão ainda tinha fresco na memória os resquícios da segunda guerra e da bomba atômica. Revivido diversas vezes no cinema e na TV, o lagarto volta 60 anos depois numa produção americana com cara de blockbuster. Aqui temos mais um drama humano entrelaçado ao surgimento do mostro.

Após perder sua esposa em um acidente na usina nuclear onde trabalhavam no Japão, Joe Brody passa a criar seu filho, Ford Brody, sozinho. Sem nunca superar sua perda, Joe busca a verdadeira causa da tragédia e, agora adulto, Ford entra para o exército para lutar contra a terrível ameaça destrutiva do monstro.

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=1UxoxzR0wwo?rel=0&w=560&h=315]

Cheio de furos, o roteiro falha ao insistir em dar profundidade a algo que, apesar da pretensão grandiosa, ainda é um filme de monstro gigante. E é isso que o publico quer ver na tela, mas a narrativa se perde com excesso de personagens e drama, uma serie de incoerências em relação as fraquezas do monstro, as pífias investidas dos humanos em batalha e por aí vai. Outro ponto baixo é a falta de tato para o que pode ser recompensador para o publico, afinal o “astro” do filme pouco aparece, em meio a densas fumaças e frestas o filme constrói uma expectativa que no fim nunca se cumpre.

Apesar da boa produção de efeitos visuais e sonoros Godzilla decepciona ao não entregar o que promete, peso de mais para algo que poderia ser mais simples, porém mais eficiente. Na dúvida fique com Circulo de Fogo (bem melhor).

Nota: 5/10

Adicionar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *