Review: No Limite do Amanhã.

no-limite-do-amanha-critica

No Limite do Amanhã.

De Doug Liman.

Com Tom Cruise, Emily Blunt, Bill Paxton, Brendan Gleeson, Noah Taylor, Jonas Armstrong, Tony Way, Kick Gurry, Franz Drameh, Dragomir Mrsic, Charlotte Riley.

Como já havia dito antes, viagens no tempo sempre deixam histórias, e filmes, interessantes. O que não dá para dizer de Tom Cruise, veterano em filmes de guerra, o astro hollywoodiano não tem empolgado ultimamente, mas para nossa satisfação desta vez a aposta foi assertiva.

Baseada no livro de Hiroshi Sakurazaka, No Limite do Amanhã lembra muito Um Feitiço do Tempo com Bill Murray, um dos melhores filmes das últimas décadas (se você ainda não viu é muita falta de caráter sua, é sério!). Temos no filme uma invasão alienígena à Terra onde o major Bill Cage, um publicitário do exército terrestre, é colocado a contragosto na linha de frente de uma batalha decisiva contra o inimigo. No entanto ele acaba obtendo o poder de voltar no tempo e revive sempre o dia da batalha, que o leva a conhecer Rita Vrataski, uma combatente muito respeitada (e que usa uma espada muito foda!) que entende os poderes de Cage e decide ajudá-lo para ganharem a guerra.

Cheio de referências, o filme vai de Um Feitiço do Tempo a Tropas Estelares além de outros filmes de guerra bem como a mecânica de respawn dos games e a espada de Final Fantasy 7. Muitos tiroteios e mortes em guerra repetidas vezes. A ação corre bem na maior parte do filme, embora o fim perca um pouco desse dinamismo e como não podia deixar de ser, o romance latente entre Cage e Vrataski.

No Limite do Amanhã agrada, vale pelos bons efeitos visuais, ação e uma história interessante, provando que Tom Cruise ainda pode nos convencer a ver seus filmes, e não apenas pela sua beleza.

Nota: 8/10

Adicionar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *